segunda-feira, 8 de agosto de 2016


Da a César o que é de César



O Brasil está em recessão, passando por um dos momentos mais difíceis de sua história, foi assaltado de forma vergonhosa e criminal, o povo sofrendo desempregado, endividado, sem dinheiro sequer para se alimentar, por pouco o Brasil não se tornou uma Venezuela ou algo pior.
E mesmo assim querem entregar a César o que é de César, mesmo em um momento tão difícil como esse.

Eis que o Senado aprova um aumento de mais de 5 mil para o supremo.
O caso aqui não é o merecimento do aumento para a função, e sim o momento crucial em que o país está vivendo.

Pois o aumento no salário dos ministros do supremo que atualmente já ultrapassa a bagatela de 33 mil reais, irá ter uma somatória de mais 5 mil em seus “holerites.”
Isso por si só já abriria um buraco nos cofres públicos que já quase vazios padecem ao serem tombados pelos governantes corruptos em sua maioria do partido do PT que os dominavam com mão de ferro.

Porém o buraco que já era grande pode se tornar um buraco negro pois o aumento do salário do supremo tem um efeito devastador nas finanças escassas do país, pois esse aumento atingirá a todos os magistrados federais e estaduais, ministros e conselheiros de tribunais de contas e salários de parlamentares, chegando inclusive aos vereadores, sabendo no entanto que no Brasil temos mais 57 mil vereadores eleitos a cada 4 anos, já da para perceber a magnitude dos gastos que estão por vim.
O gastos previsto com essa brincadeira irresponsável do senado brasileiro é de exatamente R$ 13,5 bilhões até 2018.

O fato é que tanto o Brasil quanto os brasileiros não suportam mais os senhores feudais e suas cargas tributárias e nem sustentar seus luxos e nem suas luxúrias.

O povo não quer mais dar a César o que é de César, pois esse tal César não enxerga o povo, apenas olha para suas moedas que estampam suas faces sujas de corrupção e do sangue inocente de um povo massacrado pelo esquecimento e humilhação.




Nenhum comentário:

Postar um comentário