segunda-feira, 20 de junho de 2016




Estado Islâmico, os juízes do mundo


Incrível como um grupo extremista cresce e se manifesta da forma horripilante em que o Estado Islâmico faz, um inimigo do mundo, dos gêneros, das raças, onde somente as leis deles são válidas, leis estas que não há base histórica, nem jurídica e muito menos humana.
Um grupo de assassinos que vem ao longo dos anos recrutando e formando seu exército com pessoas tão doentes ou até pior do que eles mesmo.
Uma ideologia falha e desestruturada que precisa ser parada imediatamente e acima de tudo extinta da face da terra.
O que esperar de um grupo de abutres que degolam pessoas diante de câmeras, que queimam pessoas vivas em uma gaiola como se fosse os mais vis animais, matam mulheres e crianças se se recusarem a práticas sexuais, julgam homossexuais e condenam a morte jogando do topo dos prédios após serem estuprados por eles mesmos, quer dizer que quem estupra um homossexual não está praticando a mesma homossexualidade?


Assassinaram jornalistas por criticarem suas ideologias, mataram dezenas em um café em Paris e outras dezenas em uma boate em Orlando. Esses números nada se comparam aos milhares que esse grupo de abutres vem executado em todo o mundo com base em uma seita desumana.
O Mundo não pode assistir a isso sem nada fazer, o mundo precisa se unir para destruir essa ameaça humana para que não cresça mais do que até agora, para que as pessoas se conscientizem do quão demoníaco é compactuar com esse grupo extremista assassino.
Os líderes mundiais precisam de uma vez por toda se unir para combater e riscar do mapa essa ideologia, as pessoas precisam denunciar, precisam fazer uma corrente do bem para neutralizar esse mal que como a peste negra está dizimando milhares de pessoas sem uma causa concreta, apenas pelo bel prazer de matar e destruir.